midiautoria

Midiautoria é um espaço para se falar sobre ser autor em uma sociedade midiatizada. Sentidos circulam nos/ por intermédio de diversos instrumentos tecnolingüísticos, constituindo efeitos de sentidos. Pensar, aqui, sobre as materialidades e suas potencialidades para um processo de autoria, que implica sempre heterogeneidade, acaba por nos colocar no movimento de ser autor.

Nome:

Doutora em Educação e estudiosa na área de tecnologia, em uma perspectiva discursiva.

15.11.07

O mandato do IGF - uma discussão

William Drake - há o mandato estabelecido pela Tunis Agenda e há as experiências realizadas pelos vários países. A questão do processo ser multistaskeholder possibilita diversas ações em diferentes instâncias. Uma oportunidade para discutir os caminhos futuros do IGF.
1. Everton Lucero: IGF está sendo visto como uma bem-sucedida reunião, trazendo diferenciais da primeira. IGF é um processo. o mandato está aí para ser implementado. Nós o entendemos e o interpretamos, mas não temos a intenção de modificá-lo. O IGF está ancorado na UN, que convene the forum. De um lado, a UN reconhece que a Internet tem se tornado uma importante ferramenta pra implementacao de paz, segurança, direitos humanos no mundo. Tem corrido bem, mas deixe-me pensar uma teorética possibilidade: nao há um suporte financeiro adequado por parte da UN, por quê? paragrafo 33; multilateral, multistakeholder, transparente. Presenca de 4 ministros no IGF. A questão da transparência ainda é obscura. Comenta sobre sua contribuicão anterior nas reuniões preparatórias e o não retorno, indicando que não foi aceita sua consideração. Coloca a questão que se é um processo de multistakeholder, deveria haver uma troca, discussão de idéias, mesmo que issso significasse um confronto; só assim podemos construir um proceso realmente transparente, multilateral e multistakeholder.
2.Discutir qual o impacto do mandato. Tem havido real impacto com o IGF? Precisamos criar condicões de perceber o que está sendo construido e colocar em prática. Discutimos sobre participacão, ms como estamos realmente engajados e quem está? Devemos ter um equilíbrio entre interpretacão restrita e abrangente do mandato do IGF.
3. Uma oportunidade ímpar de processo multistakehoder. Além disso, há a participacão online e isso é muito importante. Uma coisa básica a fazer é entre os encontros do IGF criar oportunidades de discussão, especialmente do ponto de vista de empresas. Criar discussoes em nível nacional.
4. Fiquei agradavelmente surpreso de ver o processo de multistakehoder dando certo. Me preocupo fortemente com a divulgação de boas práticas, especialmente no aspecto do acesso.
5. Que nível de convergência pode ser feito? É um novo fenômeno. O mandato possibilita realmente trabalho conjunto?
6. Parminder: Precisamos examinar a agenda. Deveria haver um formato de relatos (report).Estaria realmente o IGf contribuindo com a construcão, os construtores de políticas públicas? Pensar sobre o que não estamos fazendo.
William Drake: como ter um diálogo aberto? como o IGF tornar-se realmente um grupo aberto de discussão? Coalizacao dinâmica como mecanismo para controlar, direcionar a discussão, mas como gerar mecanismos para um diálogo mais amplo.
Mathel: aprender com os outros e levar de volta para os seus. Há necessidade de se levar de volta pra sociedade de modo que possa virar política.
Everton: alguns melhoramentos: sessões principais (main sessions) poderiam ser lugar de receber reports dos workshops e espaço para discutir acões. Comecou aqui no Rio a construção de reports dos workshops. A sala que estamos hoje é um território da UN. Se não houver adquada representação de diferentes stakeholders nao haverá um processo que possa realmente contemplar a todas as nações envolvidas.
Ana Sílvia: O caráter de fórum significa o quê? Há uma mesa com 5/7 palestrantes que muitas vezes apenas apontam algumas questões já correntes. As perguntas são a grande questão que faz esquentar a discussão. No worksohop de políticas públicas, houve uma fala para dirigir as questões ao panelistas, no lugar de usar o microfone para expressar seu ponto de vista!x

Algumas questões que surgiram:
Como controlar o fórum? O que temos que evitar é a diminuicão da negociação.
A importância de haver recomendações, reports, documentos, especialmente porque as pessoas que realmente precisam ou podem decidir não estão aqui.
A não contemplação de gênero, diversidade de instâncias; há a repetição de pessoas, deveria haver empenho de suporte pra outros stakeholders. Ausência nos fóruns da UN.
O formato de panelista não estimula a participacao. Talvez grupos menores...
As coalizões dinâmicas têm respondido ao critério de multistakeholder?

Everton destaca o parágrafo 72 da Tunis Agenda e reforça a idéia das mains sessions tomarem os resultados de discussoes dos workhops pra pensarem em ações possíveis...

Marcadores: ,

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home