midiautoria

Midiautoria é um espaço para se falar sobre ser autor em uma sociedade midiatizada. Sentidos circulam nos/ por intermédio de diversos instrumentos tecnolingüísticos, constituindo efeitos de sentidos. Pensar, aqui, sobre as materialidades e suas potencialidades para um processo de autoria, que implica sempre heterogeneidade, acaba por nos colocar no movimento de ser autor.

Nome:

Doutora em Educação e estudiosa na área de tecnologia, em uma perspectiva discursiva.

13.11.07

Diversidade - Painel Geral

Adama Samassekou: destacou a importancia de criar o MAAYA para integras países e línguas.
Representante setor empresarial:fala da criacão de recursos, mas uma das coisas mais importantes é a criacão de meios de se comunicar com culturas diferentes.A questão de incorporar padrões de interoperabilidade é fundamental. Destaca a necessidade de contemplar a acessibilidade.
Representante da India: cita casos exemplares na Índia, como pescadores olharem a Internet para verificarem pontos de pesca, marés etc. Destaca que se antes os casamentos eram escolhidos, hoje os filhos acessam a Internet e escolhem seus pares, tendo, assim, a Internet uma natureza de desrespeito à cultura das castas. Internet nao apenas econômica,mas transformações sociais e isso nem sonhávamos acontecer.
Tatiana Ershova: 180 grupos étnicos na Russia. 23 línguas oficiais.Isso é relevante em termos de GI. Há diversidade cultural, de escolha , de acesso. a internacionalizacao dos DNs é essencial para o desenvolvimento contínuo da Internet.
Faltstrom: a questao dos domínios internacionais é apenas uma questao, não é a solução. Destaca que no lugar de criticar a Wikipidia, pelo copiar e colar, pedir aos alunos para escreverem artigos na Wikipidia.
Petrazinni:é preciso ter pessoas capacitadas pra construir conhecimento local. Asia, Africa, América Latina e Caribe = aplicação de pesquisa.
Sammassekou:há línguas que não são reconhecidas por aqueles corpos que manejam a Internet. convival multilingual funcionalism = recohecer a existência de outras línguas;reconhecer o status de outras línguas; as africanas, por exemplo, não são tidas como línguas de trabalho, mas antes de essas línguas serem importadas, a Africa já era um continente lingüístico.
mulher francesa:
Ministro Gilberto Gil: como países em desenvolvimento se mobilizam para movimentar sua diversidade e processos que contemplem as características próprias de cada país? No caso do Brasil, buscamos já há 6 anos, e agora com Lula, uma interação muito forte com a Onu. O Brasil propôs a agenda de desenvolvimento, até questões como implementar nossa música e audiovisual, defendendo as especificidades de nossas características nacionais, além da participação do Brasil em vários fóruns, a articulação com fóruns internacionais como o Mercosul, com demandas regionais, intercontinentais. Desenvolvimento, não visto apenas na perspectova da econometria, do economicismo, mas tendo a cultura como parte fundamental. Deselvolvimento com cultura. Estamos atualizando as leis de propriedade intelectual. Ministério da Cultura: direitos autorais e Ministério Ciência e Tecnologia:patentes. Determinação coletiva de políticas de passagem do sistema analógico para o sistema digital, e isso também chega à Internet. No que diz respeito aos modos de práticas: Cultura Viva, uma linha de vários programas facilatores do acesso a esse universo digital, a discussão sobre novas tecnologias. Eu diria que a Internet, no sentido geral, esta estimulando, eu diria exigindo mesmo a politização das novas tecnologias, a partir da sociedade civil, para que tome conhecimento e saiba o que é preciso fazer para que esteja realmente incluída nesses processos todos. Possivelmente teremos que ter uma prorrogação do mandato das Nações Unidas, no sentido de garantir o processo multilateral em toda sua extensão e profundidade.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home